O projeto da bióloga, Manta Catalog Azores, visa envolver os cidadãos na atividade científica e criar uma base de dados de jamantas em águas açorianas.
Ana Filipa Sobral e as jamantas dos Açores distinguidas pelo Prémio Terre de Femmes
publicado a 03 de Abril de 2019
Ana Filipa Sobral, bióloga marinha de Grândola a viver nos Açores, foi galardoada com o 2º prémio Terre de Femmes da Fundação Yves Rocher. Este é um prémio que visa reconhecer o trabalho de mulheres que desenvolvem projetos na área do ambiente. O prémio corresponde a 5000 €, que serão utilizados na divulgação do projeto, nomeadamente em deslocações e ações de sensibilização.

O projeto Manta Catalog Azores tem como objetivo principal promover a ciência cidadã, em que mergulhadores e centros de mergulho da ilha fornecem fotografias, vídeos e dados que permitem a identificação de mobulideos nos Açores e da jamanta-chilena (Mobula tarapacana) no mundo inteiro. O padrão ventral das jamantas funciona como uma impressão digital e não sofre alterações com o tempo, permitindo a sua identificação fidedigna. A participação do público na recolha de imagens é importante para aumentar a quantidade de dados disponíveis e alargar a cobertura geográfica das recolhas.

A base de dados do Manta Catalog Azores já conta com 134 indivíduos de jamanta-chilena e 29 da manta-oceânica (Mobula birostris) e tanto uma como outra espécie ocorrem sobretudo nos meses entre junho e outubro em montes submarinos do arquipélago.

São raros os locais do mundo onde a jamanta-chilena se agrega em grandes grupos e os Açores são um desses lugares. No entanto a razão por detrás destes ajuntamentos é ainda desconhecida: “As populações podem ser vistas ao longo de todo o arquipélago, mas formam agregações no monte submarino do Ambrósio e Princesa Alice. Nestes locais, são frequentemente avistadas fêmeas grávidas, o que pode significar que têm alguma importância em termos de reprodução, que pode ser a proximidade de algum local para dar à luz ou relevante em termos de socialização”.

O Observatório do Mar dos Açores é parceiro deste e de outros projetos de sensibilização para a conservação dos elasmobrânquios, tanto junto do público escolar (ver fotos), como do público em geral.